Próximos Eventos

«   Novembro 2018   »
seteququsesdo
   1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
  

mais ...
Star Trek: Discovery Review Episódio 8 - Si Vis Pacem, Para Bellum
Escrito por César Augusto   
Seg, 06 de Novembro de 2017 14:39

STD 06-11 04lorca-burnhamEsta revisão de Star Trek: Discovery contém spoilers.

Burnham, Saru e Tyler contemplam a paz durante uma missão afastada em um mundo estranho.

Se você quer paz prepare-se para a guerra. Essa é a tradução do título latino de Star Trek: Discovery. Talvez um título melhor tenha sido: você não pode ser neutro em uma nave estelar em movimento - algo que Saru aprendeu da maneira mais difícil em um episódio complexo que teve esses personagens finalmente, descobrindo algo.

STD 06-11 01tyler-burnham-saru"Si Vis Pacem, Para Bellum" viu Burnham, Tyler e Saru em sua própria missão, explorando um planeta chamado Pahvo (um planeta mais ou menos Pandora de Avatar), na esperança de usar um obelisco de cristal natural que emite vibrações para criar um sonar capaz de encontrar naves Klingon camufladas.

Uma vez em Pahvo, a equipe é saudada pelos seres de energia sensível que vivem lá, mudando os parâmetros de sua missão. Pelo protocolo de primeiro contato da Frota Estelar, eles devem se certificar de que as espécies nativas entendam seu pedido e concordem em compartilhar qualquer tecnologia antes de usar os cristais vibratórios.

STD 06-11 07saru-connected-to-somethingAs coisas tornam-se ainda mais complicadas quando o Saru especialmente sensível, que inicialmente ficou sobrecarregado com a "música" do planeta, “vira” nativo. Ele quer ficar para sempre, mentindo para Burnham e Tyler sobre ter contatado a Discovery e assim esmagando seus comunicadores para que eles próprios não possam entrar em contato com a nave. Quando Michael decide ir para o comunicador de cristal do planeta para completar a missão, Saru utiliza meios drásticos para tentar detê-la.

Inevitavelmente, de nada adinata. A equipe visitante é transportada de volta a bordo da Discovery e Saru é "curado" de sua Síndrome de Estocolmo. Mas não era síndrome de Estocolmo, não totalmente. Os métodos de Saru podem ter sido drásticos, mas seus motivos eram compreensíveis e dignos de uma análise séria.

A harmonia não é uma idéia louca, embora seja um conceito que não parece tão viável no momento que já está em guerra, com um inimigo que não compartilha os valores da Federação. Os Pahvons ainda vão tentar, no entanto, chamar os Klingons para o seu planeta para que possam negociar a paz com a Federação. É um conceito nobre, mas alguém da tripulação da Discovery parece ter certeza que falhará.

E por que eles pensariam de forma diferente? Este é um episódio que começou com seis naves Klingon destruindo uma embarcação da Federação com mais de 400 pessoas, a Discovery incapaz de evitar as baixas. Este é um episódio que viu Kol matar muitos de sés próprio povo por sua deslealdade. Harmonia é um objetivo nobre, mas às vezes exige conflitos - ou então Star Trek: Discovery parece estar discutindo.

STD 06-11 06tyler-burnham in-forestSaru não é o único personagem que é atraído pela falsa segurança de Pahvo e sua visão de paz. Antes que as coisas dêem uma volta para o drástico, Michael e Ash podem ter um momento mais silencioso para refletir sobre o que farão quando a guerra acabar. Tyler diz que irá para a casa do lago (maldição, se ele é um agente Klingon, ele está realmente bem preparado), mas Burnham não pode imaginar essa visão para o futuro dela. Quando a guerra acabar, ela retornará a sua sentença perpétua. Este lembrete apenas faz com que seu compromisso com o fim da guerra seja muito mais inspirador.

No entanto, Michael e Ash podem fingir que acreditam que as necessidades dos poucos ou de um superam as necessidades de muitos. Conhecemos a verdade. Suas ações sugerem o contrário. Durante uma cena particularmente densa entre Saru e Tyler, este último admite que ele não quer derrotar os Klingons; Ele quer ferir os Klingons que o torturaram. Se Tyler for Voq, então isso é verificado aqui. Voq não é anti-Klingon, longe disso. Ele é anti-Kol.

Falando em Kol, L'Rell e os subalternos de Kol que tomaram a nave Sarcófago Klingon, as coisas ficam interessantes neste enredo, sem dúvida, pela primeira vez na curta história desta série. Quando L'Rell promete sua fidelidade a Kol, ele insiste que ela lhe traga algo mais para provar sua lealdade. Como um mestre interrogador, L'Rell oferece algumas respostas de uma Almirante Cornwell, até agora lacônica.

Então, começa uma dinâmica interessante entre L'Rell e Cornwell, que envolve uma tortura simulada (porque, como foi provado, a tortura não produz resultados reais). L'Rell pergunta a Cornwell sobre a política da Federação com prisioneiros de guerra porque ela quer se tornar uma - ou, com mais precisão, ela quer desertar.

Não está claro se tudo isso faz parte do plano épico de interrogação de L'Rell, mas ela parece ser séria. E, se Kol & Co. não a detivess fugindo da nave com Cornwell, presumivelmente os dois teriam fugido para a Discovery juntos. Talvez nunca possamos saber. Em vez disso, L'Rell aparentemente mata Cornwell e esconde seu corpo em sua nave com os corpos de seus camaradas Klingon caídos. Pessoalmente, não estou convencido de que Cornwell não está morta. Também estou esperando desesperadamente que ela não esteja porque acho que esse personagem ainda tem muito à oferecer.

Kol vê metira na desculpa fraca de L'Rell "ela estava tentando escapar", mas não mata L'Rell porque ela realmente oferece algumas informações, supostamente obtidas de Cornwell. L'Rell passa para Kol que a Federação tem algum tipo de arma (também conhecido como a movimentação por esporos) que tornaria o império de Kol ainda mais poderoso. L'Rell não conseguiu isso de Cornwell, o que implica que ela tem outra pessoa lá dentro. Talvez alguém em forma de Tyler?

STD 06-11 04tilly-stametsEnquanto isso, de volta ao Discovery, Stamets continua a sofrer efeitos colaterais erráticos do seu tempo como a ignição da transmissão de esporos. De alguma forma, Tilly é a única que percebe - ou pelo menos é suficientemente corajosa para não aceitar um "Estou bem" como uma resposta. Stamets admite que, às vezes, ele não sabe onde está. Presumivelmente, ele também nem sempre sabe quando está. Quando ele sai pela primeira vez da movimentação de esporos no episódio de hoje, ele chama Tilly "capitão", o que implica que, em algum momento do futuro, ela alcançará seu objetivo de conseguir um comando.

Felizmente, Stamets estará lá para vê-la. Com a nave Sarcófago Klingon chegando a Pahvo e a Discovery como a única linha de defesa do planeta da harmonia, algo me diz que o engenheiro-chefe passará algum tempo na movimentação de esporos no futuro próximo.

Se Stamets continuar a essa taxa, ele continuará a mudar - talvez ele venha a parecer algo mais harmonioso e baseado em energia, como o Pahvons. Se este episódio provou alguma coisa, é que Discovery ainda está dividida entre seguir os preceitos originais de Star Trek (Primeira Diretriz e Primeiro Contato) e adequar-se aos tempos sombrios de uma guerra.

E não se esqueçam! Dia 11/11 a partir das 10 horas estaremos na Santa Casa de São Paulo para nossa campanha semestral de doação de Sangue! Venha colaborar com que necessita! Participe!
Hemocentro da Santa Casa de São Paulo
R. Marquês de Itu, 579 - Vila Buarque, São Paulo - SP,
Das 10 horas às 15 horas

 

Curta nossa página

Star Trekker

Entrar pelo Facebook
Valid XHTML & CSS | Template Design | Copyright © 2014 by